13.9.10

Sobre música


Já falei sobre a minha relação com a música e sobre músicas e bandas de que gosto.
Desta vez, vou falar sobre algo ligeiramente diferente.

Há músicos que eu acho fantásticos e que raramente me desiludem com as músicas que criam. E sou perfeitamente capaz de ligar o Spotify e ouvir continuamente os diferentes álbuns, sem me cansar.

No entanto, muitas vezes opto por não ir aos concertos.
Para além dos casos em que me desiludem enquanto pessoas (mesmo não comprometendo a qualidade do que tocam ou cantam), sobretudo pela forma como interagem com o público, na maior parte das situações eu acho um desperdício de tempo e dinheiro estar numa sala de espectáculos a ouvir exactamente o mesmo que poderia estar a ouvir em casa. Além disso, costumam tocar as músicas mais comerciais, que nem sempre são as minhas preferidas.

Eu adoro quando os concertos são inesperados e trazem algo de novo, e adoro quando são interactivos, criando uma comunicação entre os músicos e o público, e fazendo com que todos participem.
Não tem necessariamente que ser a minha banda preferida. Basta haver dinamismo e algo que me surpreenda.

Por exemplo, há bastantes anos fui a um concerto sobre o Porto com músicos que não costumamos ver juntos, e adorei, de tão inesperado e interactivo que foi.

Também adorei um concerto da Mariza, não propriamente por aquilo que ela cantou, mas sobretudo pelas situações que criou em palco juntamente com diferentes convidados. E houve imensa comunicação, que na minha opinião é uma das principais características de um concerto.

Vocês gostam de ir a concertos?
Há algum que vos tenha marcado especialmente?

14 comentários:

Rita G. disse...

Já gostei mais, agora costumo achar muita confusão e como tenho a filhota quase nunca posso ir. O concerto que mais adorei ver foi Metallica no T.99, um festival no estádio nacional. Adorei:)

Cleo disse...

O do David Fonseca, numa Queima das Fitas do Porto, há uns 4 anos atrás. Foi lindo! Ele interagiu tanto com o público que aquilo parecia uma salinha acolhedora com amigos!

Também gostei do primeiro a que fui dos Xutos. Foi espectacular porque foi um revivalismo de todas as músicas mais conhecidas deles, daquelas que me lembro desde ser gente tipo a Casinha! =)

Mas é verdade, há muitos que nos desiludem... por exemplo, fugi quando fui ver o Pedro Abrunhosa, que tem músicas lindas, mas que tornou um concerto numa campanha eleitoral...

Sílvia disse...

É totalmente diferente ir a um concerto e ouvir o cd em casa, por exemplo gosto muito do david fonseca mas acho que é muito mas muito melhor ao vivo do que nos cds. É totalmente diferente para melhor. Outro caso assim é xutos, gosto mais ao vivo do que em cd, deolinda a mesma coisa.

E não se compara a emoção de estar num concerto ou ouvir em cd... Sinceramente prefiro concertos...

Concertos marcantes, não sei talvez orishas no enterro da gata o ano passado, ou o meu primeiro concerto dos deolinda, amei :)

Meio Cheio disse...

Eu adoro ir a concertos nem que seja para criar uma opiniao sobre a banda em questão em palco. Mas se for mau vou uma vez e nunca mais. Mas claro que ha bandas que adoro mas odeio ao vivo (nunca ver red hot chilli peppers) e outras que adoro simplesmente ao vivo e nem tenho cds deles, mas simplesmente são optimos em palco (buraka som sistema...fabulosos em palco e nem sei as musicas).

Por isso continuo a ir aos concertos todos que posso, nunca se sabe quando vem uma surpresa agradavel =)

Beijinho*

Agridoce disse...

Apesar de, por razões profissionais, assistir habitualmente a muitos concertos, não me canso e continuo sempre a querer ir a bons concertos dos meus artistas preferidos :) Nunca esquecerei o concerto dos Radiohead no Coliseu dos Recreios. E os concertos do Rui Veloso são sempre muito, muito especiais :)

Cleo disse...

Por falar em bons concertos, mesmo não sendo fã... e correndo o risco de ser linxada em público, vi DZRT e gostei da interacção deles com o público!!! LOL

Mie disse...

Gosto imenso de concertos e em Novembro vou a Alemanha ver os Scorpions :))))

Um concerto que nunca vou esquecer foi dos Madredeus ha muitos anos atras, em que um fulano que ficou atras de mim passou a segunda parte a ressonar. Resultado passei a segunda parte a rir.

Queen of Hearts disse...

Não sou a maior fã de concertos, porque não aprecio muita confusão, muito barulho, encontrões... E também porque já me desiludi muito em concertos com a prestação dos artistas, para não falar das qualidades "pessoais", como disseste.

Mas confesso que continuo a ir de vez em quando, quando gosto muito do grupo ou artista individual, ou quando é algo diferente do habitual.

Houve vários que gostei muito: Maria Bethânia, Mayra Andrade, Rodrigo Leão, dEUS, e outros que certamente não me estou a recordar. Ah, gostei muito dos Il Divo ao vivo. :)

Os próximos na calha são Mazgani, ainda este mês, e Michael Bublé, em Novembro.
E devo ser a única pessoa (mais o meu M.) neste país que não foi ver os Muse (por indisponibilidade, que desgosto!!!) e não vai ver os U2 (por opção mesmo).

Anónimo disse...

Olá!! Bem como músico profissional que sou, aprecio, claro, os concertos e um músico só é realmente reconhecido quando o ouvimos ao vivo. No entanto ele pode fazer playback! Por muito estranho que possa parecer conheços tantos casos aqui em Portugal de artistas que o fazem com a maior das naturalidades e assumem junto da entidade que os contrata! Eu acho um ESCANDALO!
Mas a energia de um concerto não se pode sentir a ouvir um CD em casa. Apenas um dos muitos exemplos que poderia dar! Há mais de 10 anos atras a Cesária Évora esteve ao vivo nos jardins do Palácio de Cristal. Foi uma noite unica que nunca irei esquecer. A energia que aquela senhora transmitia ao publico e uma curiosidade, para além de músicos extraordinários não dispensou a sua mesinha redonda, o seu candeiro com abajour pequeno de mesinha de cabeceira, maço de cigarros SG Gigante e o melhor descalça para sentir as vibrações do público!
Isto é que é respeito pelo público!

hoje vou casar assim disse...

Obrigada a todos pelos comentários :)

Uma banda que eu adorei em concerto foi Da Weasel. O som e a interacção com o público foram espectaculares!

Muse tem imensos efeitos visuais, e teve até uma espécie de ovni a descer dos céus com um acrobata, o que foi bem giro. Mas acho que deveriam falar mais com o público...

Adoraria ter ido a esse concerto de Cesária Évora nos jardins do Palácio!! O local diz-me muito, e a música é bem especial...

Agora quero muito ver Deolinda e Rodrigo Leão. Espero que seja em breve...

companhia da música disse...

Os Deolinda não aprecio e o seu espectaculo não faço ideia como seja mas Rodrigo Leão é uma boa escolha!!!

Coelhinha disse...

Também concordo quando dizes que muitas vezes os concertos desiludem pelo pouco que por vezes interagem com o publico e pelo preço que se paga. Eu até gostava de Joss Stone mas depois de a ter visto em Loulé no ano passado, detestei, fui-me embora a meio do concerto de tão secante que estava a ser! O meu concerto favorito foi de Jamie Cullum no Coliseu dos Recreios, foi espectacular e ele interage muito com o publico e vem sempre cantar uma musica junto do público. Vi-o recentemente em Londres e o foi bom mas não se compara ao êxtase que senti no Coliseu.

with love fotos disse...

Eu adoro música e adoro concertos! :)
Não gosto muito do formato dos festivais, há sempre imensas pessoas e o ambiente que se cria entre banda e audiência é sempre mais frio. Gosto de concertos mais intimistas e adoro ficar perto do palco :) Apesar de ter sempre sido uma grande fã de Hard Rock e Rock Alternativo, adoro concertos de jazz, clássica e sim, sou bicho raro, ópera. :)

Bjs

Daniela disse...

Adoro. Ouvir música ao vivo, tocada por músicos talentosos é das melhores experiências que se pode ter, na minha opinião.
Dependendo da banda e/ou tipo de música a confusão varia, mas na minha opinião não há nada como música ao vivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...