7.9.11

Os clichês e os preconceitos

Não são raras as vezes em que ouço dizer que determinados tipos de escolhas para o casamento são parolas ou desactualizadas. Na minha opinião, (quase) tudo depende da forma como lidamos com essas escolhas e como orientamos a sua preparação, e também do nosso bom gosto.

Uma determinada música pode ter efeitos totalmente diferentes dependendo do momento em que é tocada ou dos instrumentos que são utilizados. Um certo ingrediente pode parecer totalmente desapropriado para um casamento ou, pelo contrário, ser utilizado de uma forma que delicie os convidados. Um vestido com corte de princesa pode ficar muito mal ou muito bonito e elegante, consoante os tecidos, os acessórios, os pequenos detalhes, ...
Do mesmo modo, o vídeo ou as fotografias podem resultar de formas muito diferentes. Há uns tempos comentaram aqui no blog uma 'entrevista' a um fotógrafo, dizendo muito mal de fotografias tiradas no quarto da noiva. Em primeiro lugar, tenho que confessar que me faz imensa confusão ver esse tipo de preconceitos. Em segundo lugar, considero que não há limites para a imaginação e para a criatividade, e que mesmo um lugar ou uma pose clichê podem dar origem a algo elegante.

Vou mostrar alguns exemplos, e deixo ao vosso critério: sim ou não aos clichês? ;)






10 comentários:

marta, a menina do blog disse...

É preciso é abrir os horizontes e, geralmente, quem mais critica, é quem os tem mais limitados.

Lá se vai a ideia de que "fotos no quarto da noiva" têm de ser aborrecidas!

Vee disse...

Acho que as escolhas têm é de estar contextualizadas. Querer fazer algo muito sofisticado quando se tem convidados que estão habituados a algo mais popular, ou quer ser muito inovador quando a família tem preceitos muito rígidos é meio caminho andado para o fracasso.
Mas fugir dos clichés é algo que todos tentamos fazer, apesar de por vezes ser impossível. Aí entra o bom gosto e sensibilidade para tentar dar a volta a um conceito que já está mais que batido. Por vezes consegue-se (como no caso das imagens) e por vezes não. Mas é algo que me parece depender muito da sensibilidade da pessoa porque por vezes ao tentarmos fugir dos clichés conseguimos cair ainda mais no ridículo.

Vee disse...

nota: não gosto das escolhas da Matilde Berk para as 4 últimas fotos. Apesar de não achar exactamente piroso, é um exemplo de situações em que poderia abordar uma pose já muito vista de outra forma.

ana disse...

Eu penso que quando analisamos um casamento - porque todos temos sempre as nossas opiniões - devemos pensar de duas formas: aquilo que faz sentido para nós e aquilo que faz sentido para os noivos. Eu tenho ido a casamentos e tenho as minhas preferências pessoais. E eu gosto de originalidade, gosto quando vou a um casamento e me surpreendo. Mas acima de tudo gosto de ver que tudo faz sentido para os noivos. E se os noivos são de uma visão mais tradicional, então acho que faz sentido que se sigam passos mais tradicionais e não seja nada mais arrojado.

Ligo imenso às fotografias, acho que é um dos itens em que vale a pena investir pois é a recordação que fica. E já vi fotos dessas do quarto bem giras, mais tradicionais e outras mais arrojadas, mais inovadoras.

Mas concordo com a Vee, acho que tem que estar tudo num fio condutor que começa na personalidade das pessoas.

_+*Ælitis in Paris*+_ disse...

As pessoas, infelizmente, que seja em casamentos ou não, sempre têm muito a dizer sobre a vida e escolhas dos outros.

Bomboca do Amor disse...

Não creio que sejam clichês.
Apesar de ser algo já bastante visto, quando tem o tal toque especial acho que ficam fotografias maravilhosas!
Beijinhos,
Bomboca do Amor.

Brida disse...

As escolhas, quer sejam para o casamento quer para a vida em geral devem ser de acordo com a personalidade, gosto e desejo das pessoas em questão.

No entanto, penso que esse fotógrafo devia estar a referir-se aquelas fotos já tão vistas, com poses tão forçadas, em que a noiva está deitada na cama, muito pensativa... e não propriamente as que publicaste que são obviamente bonitas.

Ainda assim, se houver quem goste desse tipo de fotos, go for it!

Queen of Hearts disse...

Haveria tanto a dizer sobre isto... tenho de organizar os meus pensamentos. :)

1- Concordo que se trata mais da abordagem que é feita às escolhas do que das escolhas em si. Pegando no exemplo das fotografias, como estes exemplos bem demonstram, podem ser feitas fotografias mais ou menos "cliché" no conceito base, mas com uma abordagem que lhes dê um cunho particular e original.

2- Concordo que há uma tendência exagerada, e generalizada, em que quase todos caímos alguma vez, de opinar sobre as escolhas alheias, a vida alheia, ... Contra mim falo, que já o fiz, mas acho realmente detestável.

3- Concordo que às vezes chega a ser mais ridícula a tentativa de inovação do que propriamente o cliché de que se quer fugir. Aí já vai tudo do bom gosto e bom senso de cada um.

Flutuações da mente disse...

Flutuações tem um mimo!!! bjjj

Ana disse...

SIM, completamente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...