22.4.11

Entrevista à criadora de vestidos de noiva Bianca Bast

Bianca Bast tem um atelier de vestidos de noiva e de festa no Porto (na Rua Oliveira Monteiro), e eu achei que valia a pena conhecê-la melhor, e também conhecer melhor a sua forma de trabalhar.

Agradeço imenso a simpatia e a disponibilidade!


Há quantos anos é que descobriu a sua vocação para desenhar vestidos?
Comecei a imaginar vestidos, para mim, aos 13/14 anos, estudei entre 2001 e 2004 design de Moda na Alemanha, em Berlim. Em 2005 comecei a trabalhar com a Manuela Tojal que foi uma grande revelação para mim porque me fez despertar  um grande amor para os vestidos de noiva que até então ainda desconhecia.

Como surgiu a ideia de criar um atelier?
Com a morte da Manuela Tojal tive que criar o meu espaço para poder continuar a desenvolver aquilo que adoro fazer. Foi o passo mais lógico para mim e nunca pensei em outras alternativas.


Apenas desenha ou também confecciona os vestidos?
A maior parte dos vestidos da colecção são também confeccionados por mim, porque  o acto de trabalhar com os materiais é um momento fundamental para a minha criação. Entro numa espécie de diálogo com os tecidos para poder trabalhar todos os seus potenciais e entender a melhor forma de os usar. Metade das minhas criações nascem no papel, a outra metade no manequim no trabalho directo com os materiais.

 
Que dicas é que dá a uma noiva que vai começar a ver vestidos?

Que comece por se inspirar nos vários sites dedicados aos casamentos, nas revistas e blogues como “hoje vou casar assim”.  É importante para se sensibilizar com os diferentes estilos e sentir a linguagem dos criadores que possam ter mais a ver connosco. Na fase seguinte deve procurar as lojas/ateliers previamente escolhidos.

Com que antecedência é que aconselha comprar o vestido?
Isso depende da escolha entre o Pronto-a-Vestir e uma peça única. Eu sugeria começar a idealizar o vestido um ano antes do casamento. Mesmo que a noiva tenha já uma inclinação para um certo tipo de vestido deverá procurar vestir estilos diferentes para também perceber a relação entre o próprio corpo, o corte do vestido e a influência dos tecidos e cores a escolher. Mais ou menos 6 meses antes do casamento a escolha deve ser definida para que o sonho passe à fase de realização.


Quanto tempo é que um vestido costuma demorar a confeccionar, e quantas provas é que normalmente são feitas?
O ideal para encomendar são seis meses de antecedência porque alguns tecidos podem demorar um pouco a chegar do estrangeiro e assim dá tempo suficiente para agendar as provas com a cliente. Alguns vestidos implicam muita obra feita à mão, como bordados ou rendas em crochet, que demoram tempo a elaborar.
O número de provas varia entre 3 e 5, dependendo do grau de elaboração do vestido.

Quando uma noiva chega à loja pela primeira vez, qual é a forma que acha melhor para ajudá-la a encontrar o vestido perfeito?
Isso depende muito da noiva, se ela já vem com ideias definidas ou ainda precisa de acompanhamento para definir melhor o género do vestido. Procuro perceber quem é a pessoa e qual é o sonho dela, para acertar melhor as minhas propostas.


Há muitas noivas que já vêm com uma ideia fixa? É comum acabarem por mudar de ideias?
Há casos em que mudam porque é sempre diferente escolher vestidos por fotografias ou ver na cruzeta e vesti-los. Já vendi vestidos que as pessoas vendo na cruzeta não acharam muito interessantes mas depois de os experimentarem ficaram surpreendidas e compraram. Por isso aconselho sempre a vestir antes de fazer uma opção.

Se as noivas preferirem, desenha os vestidos de propósito para elas?
O meu trabalho é fazer peças únicas para as minhas clientes, por isso quase sempre faço desenhos próprios.


Há alteração no preço relativamente aos vestidos da colecção?
Não tenho vestidos de colecção propriamente dita por que todas as peças são únicas. Não repito os vestidos. 

É comum vender os vestidos que estão na loja para prova?
Sim, as vezes é como o amor à primeira vista, a pessoa vê, veste e apaixona-se. Outras vezes as noivas vão experimentando e vamos trocando opiniões e ideias, vou fazendo sugestões e no fim chegamos a idealizar o vestido perfeito para ela.


Independentemente das colecções, nota algum padrão nos gostos ou nas preferências das noivas em cada ano?
Não. Cada noiva traz mesmo o seu próprio mundo, que não segue tanto os padrões da moda mas os sonhos de cada uma. Há mulheres que sonham com o seu vestido desde a infância e outras que estão mais confusas, que até nunca pensaram em casar e nunca se imaginaram  num vestido de noiva. Tudo depende das pessoas, umas querem o vestido de princesa e há outras que querem ser mais elas próprias e procuram propostas diferentes.

Que diferenças mais óbvias é que foi observando ao longo do tempo, ao nível dos critérios, do tipo de noivos, do número de casamentos, da procura, e de vários outros aspectos?
Perderam-se algumas tradições. Em geral acho que o sonho do casamento não mudou muito. A maior parte das pessoas ainda vê o casamento como um dos momentos mais importantes das suas vidas e por isso também o celebra como uma tradição cultural passada de geração em geração. O vestido, o véu, o ramo, a igreja, a quinta, a lua de mel.
O que vejo de diferente é que por vezes as noivas que casam por uma cerimónia civil optam por um vestido que depois pode servir para outras situações, ou não se vêem com o véu e apenas querem a tiara ou outro arranjo para cabelo. Há noivas que querem um vestido colorido em vez de branco ou bege. Mas isto são situações mais isoladas. O casamento é o casamento, uma das tradições mais fortes da nossa civilização, é um ritual muito antigo e acho que se imaginamos um casamento sem um vestido especial, a família, a festa, os amigos ou o ramo a ser atirado para as amigas solteiras, parece que falta alguma coisa, que perdemos uma oportunidade única, que não aproveitamos o momento em pleno. Pelo menos eu penso assim.


Há agora mais noivas que optam por vestidos curtos?
Faço todos os anos um ou dois vestidos curtos para noivas. Também faço vestidos transformáveis, que para a cerimónia são usados compridos e para a parte menos formal podem ser transformados em curtos.

Qual é o intervalo de preços dos vestidos de noiva que vende?
Os preços variam muito entre curtos e compridos e consoante dos materiais usados e a elaboração do vestido. Qualquer resposta seria muito vaga e por isso não ajudaria muito.


Tem parcerias com outros profissionais da área dos casamentos? 
Sim, com fotógrafos e empresas de decoração.


Se casasse hoje, como é que iria vestida?
Já há algum tempo ando a pensar nisso, por que quanto mais crio mais difícil é escolher. Decerto será um vestido muito fluido em mousseline mas acentuado na zona do peito e da cinta, bordado com missangas ou flores em crochet. Gostava de uma tiara de flores verdadeiras no cabelo.



Muito obrigada, Bianca!

2 comentários:

Fashionista disse...

Adorei o post! Não conhecia, mas tem uns modelos bem giros!

AAS disse...

Muito interessante ;-)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...